HIPERTENSÃO - COMO TRATAR?


Categoria: Dicas de Saúde
O que é hipertensão?; Como tratar hipertensão?

Nesse tópico o importante é responder: "O QUE é HIPERTENSãO?" e " COMO SEI SE SOU HIPERTENSO?". Isso porque cerca de 40% da população hipertensa não sabe que é hipertensa! Hipertensão é uma doença que acomete os pontos regulatórios da pressão arterial (principalmente os vasos sanguíneos), fazendo com que ela se eleve. Abaixo, podemos observar, uma tabela da pressão arterial com suas classificações:



Como vimos, os limites aceitáveis para a pressão arterial são valores abaixo de 140/90mmHg. Dessa forma, pacientes com elevação desses números necessitam de investigação e tratamento.
O QUE PROVOCA A HIPERTENSãO? Existem dois tipos de pressão alta:
1. IDIOPáTICA e 2. SECUNDáRIA.

IDIOPáTICA, também chamada ESSENCIAL, é o tipo mais comun. Essa forma de hipertensão está relacionada a fatores genéticos (hereditariedade - passa de pai para filho). Se existe na família alguém hipertenso, é bem provável que mais descendentes serão. Pacientes idosos hipertensos, também se enquadram nesse tipo. O envelhecimento provoca uma rigidez nas artérias de todo o corpo, e consequentemente a pressão arterial aumenta com o decorrer dos anos, mesmo sem história familiar (60-70% da população acima de 70 anos é hipertensa).

A forma secundária, como o próprio nome diz, é consequente de outra doença. Causas mais comuns dessa forma, estão relacionadas a problemas com a glândula tireóide (hipertireoidismo), glândulas supra-renais (tumores, síndrome de Cushing), artérias renais (estenoses), vasos sanguíneos (vasculopatias como coarctação de aorta), uso de medicamentos ou estimulantes (cigarro e café em doses altas) e problemas relacionados com o sono (apnéia noturna). Mas sem sombra de dúvidas a principal causa adquirida da pressão arterial dos dias de hoje é o CONSUMO DE CARBOIDRATOS vindos de alimentos processados e ultra-processados. Por isso, antes de iniciar medicamentos anti-hipertensivos, é preciso uma investigação médica adequada para tratar possíveis fatores removíveis.

O tratamento, se da forma idiopática, é estipulado com medicamentos. IMPORTANTE: HIPERTENSãO IDIOPáTICA NãO TEM CURA! Os medicamentos são para a vida inteira. E sempre que se usa medicamentos contínuos é necessário o acompanhamento médico para controles de doses, mudança de remédios, mudança de horários.
A forma secundária deve ser tratada conforme o achado: tratamento de hipertireoidismo, remoção de tumores, angioplastia de artérias renais, correção de coarctação da aorta, e REEDUCAÇÃO ALIMENTAR. Por muito tempo o sal (sódio) foi apontado como a grande causa da hipertensão arterial. Entretanto, o que provoca pressão alta é o acúmulo do sódio e não o seu consumo. Na alimentação atual, alimentos ricos em açúcares aumentam a absorção do sódio, e o consequente aumento da insulina, reduz a sua excreção renal. Por isso a importância de controlar o AÇÚCAR e não o SAL.

A pressão arterial compromete a circulação em todo o corpo. É responsável pelo aumento da incidência de infarto agudo do miocárdio (IAM), acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência renal (IR) e uma série de outras doenças envolvendo vários órgãos. É uma doença que aumenta os índices de mortalidade e, por isso, deve ser tratada e acompanhada com seriedade e de maneira periódica.
Importante lembrar que o estresse e o nervosismo também alteram a pressão arterial, podendo muitas vezes, mascarar e provocar "falsos diagnósticos". Essa é a famosa hipertensão do 'jaleco branco' - o paciente fica hipertenso toda vez que vai no consultório médico por pura ansiedade. A maneira correta de diagnóstico, e que ajuda na escolha do tipo e horários de uso dos medicamentos, é a realização do Mapeamento da Pressão arterial (MAPA). Com esse exame, consegue-se afastar as falsas medidas de pressão alta em decorrência de nervosismo, e o tratamento consegue também ser melhor planejado, trazendo melhores resultados e em menor tempo. O importante é o diagnóstico e tratamento precoce com seguimento médico periódico.

Dr. Ricardo Schneider



Gostou? Deixe seu Comentário

Dr. Ricardo Schneider


Médico, formado pela PUC-PR, CRM-PR 17214, residência em CIRURGIA CARDIOVASCULAR reconhecida pelo MEC, Membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e registrado no Conselho Federal de Medicina, Mestre em CLÍNICA CIRÚRGICA, atua na área de CIRURGIA CARDÍACA / CARDIOLOGIA

+ INFORMAÇÕES